10 Séries e Filmes Sobre Cabelo

Sedonax filmes e séries sobre cabelo

Listamos 10 filmes e séries que utilizam o cabelo e a beleza para tratar de diversas questões

A busca pela beleza e auto estima é algo presente na vida das mulheres desde o início dos tempos. Sabe-se que povos nativos de diversas partes do mundo se adornavam com pinturas, óleos, perfumes e vestimentas, especialmente em tempos de guerra e luta territorial. De Cleópatra no Egito Antigo, à Maria Antonieta na França do século XVI, a beleza e estética feminina sempre estiveram presentes. 

Padrões de beleza à parte, a busca pela beleza e o bem estar vão muito além de apenas pertencer a um padrão estético, mas denota a personalidade e mostra ao mundo a pessoa que aquela mulher é ou que deseja ser perante a sociedade. 

O cinema, a televisão e a literatura ao longo do tempo retratam histórias que tem como foco central a estética, o cabelo, a busca pela beleza, o auto cuidado e a forma como a sociedade traduz suas urgências e necessidades através dos padrões estéticos de cada época. Selecionamos aqui 10 filmes e séries que falam da beleza para você assistir no seu tempo livre!

Felicidade por um fio (2018)

Violet Jones (Sanaa Lathan) é uma publicitária bem-sucedida que considera sua vida perfeita, tendo um ótimo namorado e uma rotina organizada meticulosamente para conseguir estar sempre impecável. Após uma enorme desilusão, ela resolve repaginar o visual e o caminho de aceitação de seu cabelo está intrinsecamente ligado à sua reformulação como mulher, superando traumas que vêm desde a infância e pela primeira vez se colocando acima da opinião alheia.

O filme aborda de forma sensível e leve a vivência de mulheres negras e suas relações com cabelo e a estética através da história de Violet Jones, interpretada pela atriz Sanaa Lathan. A comédia da Netflix tem um papel importante de representatividade e inclusão, afinal, filmes que abordam a temática da vivência negra, tem a tendência a sempre mostrar um lado triste da história dos negros e esse filme, traz questões importantes dentro da narrativa das comédias românticas.

Violet Jones (Sanaa Lathan) é uma publicitária bem-sucedida que considera sua vida perfeita, tendo um ótimo namorado e uma rotina organizada meticulosamente para conseguir estar sempre impecável. Após uma enorme desilusão, ela resolve repaginar o visual e o caminho de aceitação de seu cabelo está intrinsecamente ligado à sua reformulação como mulher, superando traumas que vêm desde a infância e pela primeira vez se colocando acima da opinião alheia.

O filme aborda de forma sensível e leve a vivência de mulheres negras e suas relações com cabelo e a estética através da história de Violet Jones, interpretada pela atriz Sanaa Lathan. A comédia da Netflix tem um papel importante de representatividade e inclusão, afinal, filmes que abordam a temática da vivência negra, tem a tendência a sempre mostrar um lado triste da história dos negros e esse filme, traz questões importantes dentro da narrativa das comédias românticas.

É possível se identificar com diversas cenas do filme, como nas cenas em que faz um resgate à infância da protagonista e o momento em que ela decide que seu cabelo não é o que a define, nem suas relações interpessoais. O apoio das amigas e as embates com a mãe também são aspectos muito comuns a vida das mulheres negras que estão em processo de auto descoberta. Além de cenas engraçadas e fofas que tornam a narrativa mais leve. 

Good Hair (2009)

Good Hair é um documentário criado pelo comediante Chris Rock, que estreou nos Estados Unidos no dia 9 de outubro de 2009. O filme engloba vários aspectos da cultura do cabelo afro-americano. De acordo com o diretor, a indústria de cabelos faturou 9 bilhões de dólares com o tratamento de cabelos afro-americanos. O casting conta com várias pessoas famosas como Meagan Good, T-Pain,Raven-Symoné, Ice-T, Nia Long, KRS-One e grande elenco.

O documentário trata da indústria dos alisantes e produtos para cabelos afro sempre no sentido de alisar ou esconder as raízes daquele cabelo. No filme, Chris Rock investiga em salões, lojas de cabelo, nas ruas e também com pessoas negras famosas que fazem uso de alisantes ou extensões e perucas lisas. O interessante é que ele teve a ideia do filme quando uma de suas filhas disse que queria ter “cabelo bom”. Ele então vai em busca de descobrir o que é cabelo bom e por que o cabelo afro seria “ruim”.

Vale a pena assistir!

Caramelo (2007)

Um salão de beleza em Beirute é o paraíso para cinco mulheres nesta comédia libanesa. A dona do salão, Layale, consulta suas funcionárias sobre um problemático caso de amor; a estilista Rima não sabe como lidar com a sua atração por uma cliente e a costureira Rose abandona suas próprias ambições para cuidar de sua família. Com o apoio de seus amigos no salão, as mulheres buscam respostas para questões da vida, amor e felicidade.

Apesar de viver sob o forte regime das culturas orientais, Beirute, no Líbano, é uma das cidades mais abertas da região. Lá, as mulheres se permitem maior liberdade afetiva, sexual e são mais vaidosas em relação à aparência e à estética. O filme usa o ambiente do salão de beleza como cenário para as relações de amizade, amor e companheirismo vividas entre as cinco personagens principais. Além de falar de suas relações pessoais, o filme também aborda a rotina de trabalho e a independência feminina naquele espaço.

Com momentos que te fazem rir e se emocionar, é uma ótima pedida para quem quer fugir um pouco do cinema tradicional de Hollywood e assim entender uma outra cultura com atuações e fotografia que se aproximam muito da realidade. 

Edward Mãos de Tesoura (1990)

Peg Boggs (Dianne Wiest) é uma vendedora da Avon que acidentalmente descobre Edward (Johnny Depp), jovem que mora sozinho em um castelo no topo de uma montanha, criado por um inventor (Vincent Price) que morreu antes de dar mãos ao estranho ser, que possui apenas enormes lâminas no lugar delas. Isto o impede de poder se aproximar dos humanos, a não ser para criar revolucionários cortes de cabelos, mas ele dá vazão à sua solidão interior ao podar a vegetação em forma de figuras ou esculpir lindas imagens no gelo.

 

Um clássico que acompanhou a infância de muitos nas tardes em casa e que tem diversas nuances. Um conto de fadas moderno, que trata de aceitação, o bom e o mal, e como lidar com o que é diferente. Edward é uma figura estranha, mas ao se mostrar útil com cortes de cabelo, se torna uma figura admirada por muitos. Vítima da própria inocência na busca por ser aceito, acaba tendo atitudes erradas e é julgado por elas. Nos faz refletir sobre como lidamos com o desconhecido. 

Flores de Aço (1989)

Shelby Eatenton (Julia Roberts) está prestes a se casar com um rico advogado. Para se preparar para o casamento ela vai com sua mãe, M’Lynn (Sally Field), até o salão de cabeleireiro de Truvy Jones (Dolly Parton). Sabendo que por causa da festa terá serviço extra, Truvy contratou de imediato Annelle Dupuy (Daryl Hannah), para que ambas possam dar conta do trabalho. O fato de ser diabética faz com que Shelby saiba de antemão que ter um filho é também um grande risco para sua saúde. Portanto, quando meses mais tarde ela anuncia que está grávida, M’Lynn passa a ter que o corpo da filha não aguente a gestação. Apesar do risco, Shelby decide seguir adiante com a gravidez.

No filme, baseado na peça de mesmo nome, o salão de beleza de Truvy é o cenário principal do longa que, no decorrer da história, aborda temas como maternidade, casamento, família, pressões sociais e a independência feminina. 

Existe ainda um remake do filme, lançado em 2012 com elenco de mulheres negras, ao contrário da obra de 1989. Nessa versão são abordadas as mesmas questões e vivências femininas porém no contexto da vida de mulheres negra.

A Vida e a História de Madam C. J. Walker (2020)

Sarah Breedlove nasceu em 1867, em Louisiana, Estado Unidos. Trabalhou como lavadeira grande parte de sua vida, ganhando muito pouco pelo trabalho árduo e diário que fazia. Porém, deu a volta por cima e se tornou uma grande empreendedora, filantropa e ativista política e social, conhecida também por ser a primeira mulher negra a se tornar milionária naquele país. E foi justamente esta trajetória de superação que inspirou a nova minissérie da Netflix. 

A história baseada em fatos reais aborda diversos temas pertinentes aos tempos atuais mesmo se passando na década de 60. São 4 episódios que retratam ao mesmo tempo com força e leveza a história de Madam Walker. Temas como a segregação racial nos EUA, machismo, política e a superação são levados à tela de forma lúdica, com figurinos impecáveis e fotografia de tirar o fôlego. 

O ponto central da história se dá quando Sarah enfrenta uma calvície, o que mexe muito com sua auto estima, até que, com a ajuda de uma amiga, ela começa a recuperar os cabelos. Ao se mudar para outra cidade, ela começa a pesquisar sobre produtos para cabelos afro, criando a marca que a levaria ao sucesso.

Disponível na plataforma da Netflix.

Hair Love (2019)

“Hair Love” é um curta-metragem estadunidense de 2019 escrito, produzido e dirigido por Matthew A. Cherry. Segue a história de um homem que deve pentear a filha pela primeira vez.

Em apenas 6 minutos, a história aborda de forma delicada e divertida a relação entre pai e filha, o cuidado com o cabelo afro e as formas de aceitação a partir do cuidado e do amor. 

O filme, ganhador do Oscar 2020 na categoria ‘Melhor Curta-Metragem’, vai ganhar uma série animada com 12 episódios e será lançada pelo serviço de streaming do canal HBO.

The Salon (2005)

Jenny Smith (Vivica A. Fox) é dona de um modesto e popular salão do bairro. Em meio aos desafios para aumentar o negócio, ela tem que lidar com um gigante corporativo que quer comprar o seu salão para construir um grande edifício em todo quarteirão.

A comédia aborda de forma leve temáticas como amizade, amor, união, espírito de equipe e como lidamos com nossas escolhas. 

 

Instituto de Beleza Vênus (1999)

A madame Nadine (Bulle Ogier) gerencia o salão de beleza “Vénus beauté”. Ela e as três funcionárias, Samantha (Mathilde Seigner), Marie (Audrey Tautou) e Angèle (Nathalie Baye), são profissionais da beleza. Angèle não acredita mais no amor e a jovem Marie está descobrindo este sentimento com um senhor de 60 anos. As três mulheres estão em busca de realização, felicidade e amor.

O longa de 1999 aborda de maneira delicada as relações amorosas das duas protagonistas, uma mais madura, Angèle, que redescobre o amor quando não acreditava mais, e uma mais jovem, Marie, que se envolve amorosamente com um homem 40 anos mais velho que ela. Além cenários, trilha e fotografia que transportam o espectador direto para Paris.

Fios de alta tensão (2018)

O que o seu cabelo fala a seu respeito? Com essa pergunta, uma equipe de cineastas abordou mais de quarenta pessoas em Salvador, Belém do Pará, Rio de Janeiro e São Paulo e as respostas revelam histórias de resistência, de conquista, de afirmação e de superação. Baseado na diversidade étnica, etária, socioeconômica e de gênero, é traçado um retrato original do Brasil contemporâneo a partir dos cabelos dos brasileiros.

O documentário, ganhador de diversos prêmios em festivais pelo país, revela um Brasil plural através dos cabelos, sejam eles crespos, lisos, longos, curtos. Fala sobre como a personalidade de cada indivíduo pode ser representada pelos cabelos. 

Viu só? Os cabelos podem fazer parte de vários aspectos da nossa vida. Alguns têm na relação com os cabelos a aceitação pessoal, outros encontram rumo profissional, outros podem usá-lo como ferramenta de expressão pessoal e outros o utilizam como uma forma de arte ou resistência. O importante é entendermos a nossa relação com essa parte tão importante da nossa auto estima. 

Esse post foi útil pra você? Compartilhe com seus amigos!

Deixe seu comentário